Natasha Slhessarenko defende soma de esforços para Brasil superar dificuldades

Única mulher na disputa ao Senado Federal até o momento em Mato Grosso, a médica e professora universitária Natasha Slhessarenko (PSB) afirmou que traz “a força da renovação e um conhecimento que vem de berço”. O nome da médica foi homologado para o pleito deste ano durante a convenção do PSB, realizada no último sábado, no Hotel Fazenda Mato Grosso. A ata, porém, permanece aberta para a definição dos suplentes. O prazo para esta escolha se encerra no dia 5 de agosto. 

Natasha é a única mulher a disputar um cargo majoritário pelo PSB no Brasil.  E nessa caminhada, sua prioridade serão as pautas sociais. “Não podemos mais esperar soluções adiadas eternamente para os nossos problemas, como a saúde, a educação, a segurança, a luta contra a miséria, por políticos antigos, ultrapassados, presos a velhos acordos e a velhas práticas que empurram tudo com a barriga”. 

A médica reforçou suas críticas à situação econômica. Segundo ela, “a saúde piorou, a inflação voltou, a miséria nos assombra de novo, a fome, a carestia. Há falta de emprego e de comida no prato. Os preços sobem de forma assombrosa, a renda dos mato-grossenses não consegue acompanhar os aumentos. É muito mês para pouco salário. Perguntem a quem for, todos são afetados por isso”, ressaltou. 

Natasha deu o tom político de sua campanha: “o que propomos para o eleitor de Mato Grosso é união. Uma união que não se guie por lutas políticas menores e sim pelo nosso Mato Grosso. Unir todas as forças pelo nosso Estado, em benefício de todos”. 

A médica afirmou que espera formalizar alianças eleitorais até o dia 5. “Não estarei sozinha nessas eleições, teremos apoio de partidos e do povo”. Reforçou o discurso que fez durante toda a pré-campanha, criticando a polarização e o embate ideológico. “Nosso lado é o de Mato Grosso e para isso estamos unindo toda força política para servi-lo. Força em benefício da nossa gente, força para ampliar a economia do nosso estado”. 

Segundo a pré-candidata, “o Brasil precisa de todos. Mato Grosso precisa de todos nós. Precisamos superar as diferenças, as desigualdades sociais. Precisamos unir forças para trazer resultados concretos para a população mato- grossense”. 

Ela prometeu empenhar-se, caso seja eleita, no enfrentamento de causas que ela considera fundamentais para a população: “Vou me dedicar à melhoria da nossa saúde pública, a produzir leis de proteção à primeira infância, em defesa das mulheres e do protagonismo feminino. Vou defender sustentabilidade ambiental, austeridade fiscal e a estabilidade econômica e política, para que o pobre não sofra mais com a inflação”. 

Ainda sinalizou fortemente para o agronegócio e revelou sua visão sobre este setor da economia estadual. Prometeu “defender o agronegócio sustentável, que respeita e preserva o meio ambiente”. “Quero no Senado propor políticas públicas de incentivo à agroindustrialização, porque precisamos distribuir a riqueza que produzimos em nosso estado gerando emprego e renda para nossa população”. 

Disse também que vai defender incentivos para que as áreas degradadas sejam transformadas em terras produtivas, “para que possamos dobrar nossa produção sem que seja necessário derrubar um único pé de árvore”. E mais uma vez deixou claro seu compromisso com os pequenos ao afirmar que vai “defender a agricultura familiar, aquela que coloca comida na mesa dos brasileiros e que precisa ser reconhecida e valorizada”. 

Comentários Facebook