O poder de decisão

Por Wilson Carlos Fuáh
A própria vida nos ensina que o caminho para vencer os desejos, é não fugir ou negá-los, mas enfrentando-os de frente, com coragem, é esgotando-os até que chegue o momento em que você compreenda que não precisa mais disso ou daquilo, e passa a viver uma vida para si e não porque quer mostrar aos outros, ou só porque alguém está exigindo.

Só você tem o poder de decidir o que é mais importante para você, e a partir daí, saberá o que sente verdadeiramente no coração e este sentimento é que tornará maior que o próprio desejo de desistir ou continuar.

O verdadeiro julgamento sobre o homem só poderá ser feito por ele mesmo, pois somente ele conhece a sua história e as suas verdades, por isso, tenha certeza que dentro de nós existe um Ser capaz e amoroso, compassivo e bondoso, justo e verdadeiro e que reside em algum lugar de nós mesmos.

É só procurar e viver buscando a tudo o que lhe faz feliz, e saber que sua vida não termina à meia noite, por isso, e a cada final de noite, devemos desenvolver a limpeza da alma, descartando aqueles que te consomem; aqueles que te desprezam apesar das ajudas; aqueles que não valorizam as ofertas e suas dedicações em forma de ajuda e aqueles você nunca reconheceu como amigo apesar das mãos estendidas.

A escolha da proximidade com as pessoas têm muito a haver com a sua afinidade. Entenda que os infelizes fazem parte da grande legião dos invejosos, e deles nunca receberá o reconhecimento. O importante é estar de bem com conosco mesmo, e a partir daí, terá a certeza que ninguém tem o poder de decisão sobre a sua vida. Use o interruptor que está sempre em suas mãos o tempo todo, e saiba escolher, a decisão é sua.

Ao tomar decisões somos beneficiados pelas energias imaginárias que guiam nossos pensamentos e sentimentos, pois somos partes do mundo composto como membros efetivos e definitivos de sucessivas reações boas ou más, patrocinadas por objetivos claros ou não, com metas certas ou incertas, às vezes assumidas pelo desespero das decisões inconsequentes ou cobradas pelos mundo midiático. Pois a vida nos oferece sempre dois lados, um que nos estrutura e nos eleva, e o outro, que nos enfraquece, deprime e às vezes pode nos derrubar, deixando tudo em volta com sentimento debilitado.

O importante é saber que em nossa história está tão evidente o tudo somos, pois reflete tudo aquilo que construímos para dentro de nós, e não para fora. Não somos o que mostramos aos outros, mas somos o que pensamos e o que sentimos, e acima de tudo o que desejamos.

Comentários Facebook