O que será da sua rede social quando morrer?

Por Maria Augusta Ribeiro

Já pensou o que será do seu Facebook, Twiiter ou Snapchat quando morrer? Tem um grupo de pesquisadores que já pensou e criou alternativas inovadoras para não deixar seu legado digital desaparecer.

Empresas como o Facebook, Twiiter e Google tiveram ideias diferentes para encarar um problema comum: o que fazer com aquele perfil para que seja eterno? Simples: torna-lo um mural de recordações.

Parentes podem realizar um pedido ao Facebook para serem gestores da conta do falecido, e podem deixa-la numa posição de dormência, ou ainda permitir apenas que seja publicado ideias pelos amigos que já existiam em vida.

Sabendo que a linha que divide nossas vidas entre real e virtual é muito pequena, é bom tratar da sua rede social com carinho, para que, após a sua morte, ela não vire mural de piadas, espaço para publicação de propaganda, ou fique esquecida.

Como o Orkut e tantas outras redes sociais que deixaram de ser imprescindíveis, há risco de que este processo também faça com que suas recordações sejam perdidas e você não deixe vestígio de legado na internet.

O universo virtual apenas nos conecta e propaga nossa existência, e não é porque faleceu que não deixa registrado nas pessoas referências, experiências, ou deixa de ser lembrado com amor.

Acredito que, o que as redes sociais estão fazendo é antecipar ações para deixar visível de forma perpetua o legado das pessoas em ambiente digital. Não é porque não conheceu Elvis Presley, estudou com Albert Einstein ou foi vizinho de Dercy Gonçalves que eles não podem ter impacto na sua vida, certo?

Comentários Facebook