Ocupação de leitos de UTI para Covid-19 cai em 14 Estados


source
Fazer investimentos na saúde pública brasileira é algo urgente%2C afirma Frederico Guanais
Rogerio Santana/Governo do Rio de Janeiro

Rio de Janeiro tem 85% de ocupação nos leitos de UTI.

Com o recuo da pandemia do novo coronavírus (Sars-coV-2) em algumas regiões, a taxa de ocupação de leitos de UTI caiu em 14 estados nos últimos 60 dias.   

Entre os estados que tiveram queda, além dos já citados, estão: Minas Gerais, São Paulo e Bahia, Goiás, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Espírito Santo, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Amazonas, Ceará, Pernambuco e Sergipe. 

Nesse período, por causa da baixa procura, foram desativados os hospitais de campanha erguidos emergencialmente em cidades como Manaus (AM), Jaboatão dos Guararapes (PE), Rio de Janeiro e São Gonçalo (RJ).

Após ver seu sistema de saúde colapsar em junho, o Rio Grande do Norte apresentou melhora significativa pela terceira semana seguida. Com a instalação de 20 novos leitos de UTI, a taxa de ocupação caiu de 86% para 63%.

Nessa segunda-feira (27), 60% das 76 vagas da rede estadual localizadas na capital potiguar estavam ocupadas. Há uma semana, o índice era de 84%. Nos últimos 15 dias, houve abertura de mais dez novos leitos em Natal.

Já em Pernambuco, mesmo com a abertura de 21 novas vagas de UTI, o Estado manteve o índice de ocupação dos leitos em 75%. No dia 9 de julho, a taxa era de 69%, a menor registrada desde o início da pandemia do novo coronavírus .

Por sua vez, o Rio de Janeiro , onde governo e prefeitura já vêm desativando leitos para a Covid-19 , a ocupação de UTIs é de 71% na rede pública da capital e de 39% na rede estadual, sem contar as vagas de retaguarda nos hospitais de campanha, que foram esvaziados.

O Ceará é outro Estado que vem desativando leitos destinados a pacientes com Covid-19. Em um mês, o número de UTIs foi reduzido de 699 para 599, abrindo vagas para pacientes com outras enfermidades.

Espírito Santo, Bahia, Minas Gerais, Mato Grosso e os demais tem cenários semelhantes aos já citados. As informações são do site O Tempo .

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook