Os ossinhos e a falta de programas sociais da prefeitura

Repercutiu no Brasil a triste situação de pessoas atrás da doação de ossinhos em um açougue que fica localizado no bairro CPA III. Filas são formadas no local todas as semanas, nas segundas, terças e sextas-feiras, onde pessoas carentes recebem doação para saciar a fome.

Os donos desse açougue são dignos de aplausos, devendo o exemplo de solidariedade deles ser seguido por outro comerciantes, empresários e todos nós. Há mais de 10 anos eles ajudam pessoas carentes que procuram o estabelecimento atrás de doação.

Eu estive no local para conversar com pessoas que estavam na fila do ossinho para saber se a Secretária Municipal de Assistência Social já havia ido ao encontro delas para fazer um levantamento social e oferecer amparo, mas me falaram que não.

Não posso deixar de pontuar que essa ausência do poder público municipal deve-se ao fato da assistência social da Prefeitura de Cuiabá não ter nenhum programa emergencial de ajuda financeira e nem de entrega de cestas básicas para famílias carentes nesse tempo de pandemia do coronavírus.

E não é por falta de cobrança. Desde ano passado, tenho cobrado que a prefeitura crie estes importantes programas sociais, visto que aumentou muito o número de pessoas em estado de vulnerabilidade social em nossa cidade devido à crise econômica gerada pela pandemia do coronavírus.

O prefeito não pode continuar a ficar surdo e cego diante a dor da fome sentida por milhares de pessoas carentes.

É preciso nesse tempo de dificuldades a prefeitura, que é o ente público responsável para promover a assistência social em nosso município, ter programas sociais de distribuição de renda, de alimentos e de oportunidades de cursos de qualificação profissional para reinserção no mercado de trabalho voltado para pessoas que estão sofrendo devido o desemprego.

Recursos para implementar essas ações a prefeitura tem. Lembro que a gestão municipal tem um orçamento de R$ 3,2 bilhões para este ano de 2021.

Dilemário Alencar é vereador por Cuiabá

Comentários Facebook