Pantanal, berço da vida

Wellington Fagundes*

A seca nem bem começou em Mato Grosso e já é possível registrar no horizonte de Cuiabá a fumaça proveniente das queimadas. E a situação tende a ficar pior nos próximos meses, comprometendo a saúde, o bem-estar e a vida.

No ano passado, a situação chegou ao extremo, com 4 milhões de hectares consumidos pelos incêndios no pantanal de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Um dos cenários mais bonitos do mundo se transformou em um caos total, com as chamas consumindo a fauna e flora e colocando em risco a vida do homem pantaneiro.

Não foram poucos os que perderam suas roças, cercas e animais e viveram momentos de terror ao ver o fogo se aproximando de suas moradias. Em várias cidades, o dia parecia nublado, o calor era extenuante e até o simples ato de respirar ficou dificultado.

A situação chamou a atenção do mundo até mesmo pelo paradoxo: uma área alagável castigada pela seca e pelas chamas. Um prejuízo inestimável para a vida no planeta.

No Senado Federal, criamos uma comissão para acompanhar a situação e alguns resultados foram conquistados.  Apresentei ainda, o Estatuto do Pantanal, que está em tramitação no Congresso Nacional.

É possível evitar que novos incêndios aconteçam? Os meteorologistas já alertavam no ano passado para o período de seca severa, que deve se repetir por mais alguns anos – consequência das mudanças climáticas registradas no mundo todo. E se o alerta já foi dado, podemos planejar para evitar – ou pelo menos mitigar – novas tragédias.

Algumas lições aprendemos com a situação do ano passado, principalmente quanto à importância do planejamento antecipado de ações. Não podemos mais alegar que fomos surpreendidos pela situação.

Tenho feito contato com o governo federal, governos estaduais e organizações da sociedade civil para discutir o que está sendo planejado para este período de seca no pantanal e sempre me coloco como parceiro para melhor estruturação das brigadas de combate ao fogo, do próprio Corpo de Bombeiros, da compra de equipamentos etc.

E quero aproveitar esta semana, em comemoração ao dia do meio ambiente, para reforçar que é somente com a união de todos, somente com a conscientização de todos, que esta tragédia não se repetirá com as mesmas dimensões do ano passado.

Acredito que o pantanal, considerado Patrimônio da Humanidade e Reserva Mundial da Biosfera, é fundamental para o planeta e deve ser preservado para que as próximas gerações possam desfrutar de toda a beleza da fauna e flora deste que é um berçário de vida na Terra.

*Wellington Fagundes é senador por Mato Grosso

Comentários Facebook