Polícia Civil indicia jovem líder de quadrilha de roubos em Rondonópolis

Uma jovem mentora de uma quadrilha atuante em roubos a estabelecimentos comerciais no município de Rondonópolis (212 km ao Sul de Cuiabá) foi indiciada por roubo majorado, após investigação da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) da Polícia Judiciária Civil de Rondonópolis.

A suspeita, Nathany Pattielle Thimóteo Silva, 19, é acusada de planejar roubo realizado em uma loja denominada ?Martinha Noivas?, na Avenida Bandeirantes, região central da cidade. Mediante emprego de arma de fogo e grave ameaça, foram subtraídos 58 peças, entre vestidos, ternos e coroas.

Em outro assalto, também articulado por Nathany, o alvo foi o salão de beleza ?Salão Mega Hear?, que também fica no centro de Rondonópolis. Na ocasião, a jovem juntamente com seus comparsas efetuou o assalto depois de render clientes e funcionários. Do local saíram levando diversos cabelos sintéticos e naturais, além de outros pertences.

Durante as investigações da Derf para apurar os dois roubos, policiais civis conseguiram identificar Nathany como uma das envolvidas. Diante dos indícios e com a qualificação da suspeita, ela foi localizada para prestar esclarecimentos.

Em interrogatório, conduzido pelo delegado de polícia, Daniel Rozão Vendramel, Nathany acompanhada de sua advogada, contou como planejou e executou os roubos, agindo sempre com mesmo ?modus operandi?, conhecer e analisar o local, render e trancar as vítimas no banheiro.

Conforme relato, na primeira ação a interrogada teve a ideia uma semana antes dos fatos. Ela convidou sua mãe para ir até o local para experimentar umas roupas. Sem ter conhecimento da verdadeira intenção, a mãe acompanhou sua filha até a loja ?Martinha Noivas?, onde Nathany conheceu o local e analisou a parte interna do imóvel. Dois dias depois, a loja foi alvo do grupo armado e articulado pela suspeita.

Já no segundo roubo, ocorrido quatro dias após do primeiro, no salão de beleza onde ela também foi uma das autoras da ação, os envolvidos se encontraram na véspera dos fatos e por estarem todos precisando de dinheiro, escolheram o local ?Salão Mega Hear? para roubar.

Com as provas de autoria e termo de interrogatório de Nathany, a Polícia Civil indiciou a suspeita pelo crime de roubo qualificado, com pena de reclusão de quatro a dez anos, podendo ter a pena aumenta de um terço até metade.

Mais três pessoas são investigadas por integrar a quadrilha liderada pela mulher. Todos serão indiciados e poderão ter a prisão representada no final das investigações.

Comentários Facebook