Policiais da reserva são homenageados

Amor pela Polícia Militar. Esse foi o sentimento da homenagem feita a 16 policiais militares da reserva remunerada, junto com seus familiares e amigos.

O evento, que era parte da programação das festividades alusivas aos 181 anos da PM, celebrado no próximo dia 05 de setembro, foi realizado na noite dessa sexta-feira (02.09), com participação de policiais da ativa e alunos da Escola de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (Esfap), na sede da Escola, em Cuiabá.

Tal dicotomia entre o passado, ali representado pelos policiais da reserva, e o futuro, na figura dos alunos em formação, permitiu a todos vivenciar um momento de reflexão, em que foi possível observar a transformação que a instituição vivenciou e vivencia nos dias atuais.

Considerado grande defensor e entusiasta da PM, o coronel Jandir Metello, que ingressou na instituição em 1970, deu uma aula de história. Não aquela proveniente dos bancos acadêmicos, mas daquela adquirida por meio de conhecimento de mundo, de tudo que viveu e que ajudou a transformar a sociedade e, em determinado contexto, a instituição que tanto ama.

“Na minha época tínhamos muita dificuldade de descolamento para atender as ocorrências. Tínhamos somente duas viaturas para atender uma imensidão de terra”, disse Jandir, ao comparar a realidade atual da PM, que recentemente recebeu do Governo do Estado 164 motos, 34 Trail Blazer (número que deve chegar a 130 veículos), além de 100 pistolas Glock 9mm, que serão entregues no próximo dia 5 de setembro, em celebração ao aniversário da PM.  

Para o aluno soldado Leonardo Correia Lemes, de 26 anos, viver esse momento foi poder imaginar o quão importante é honrar a farda cinza bandeirante e quem sabe tornar-se um dos homenageados no futuro.

“Participar dessa cerimônia está sendo maravilhoso. Pois eles (homenageados) aqui são como um espelho, além de servir como base, como estímulo, como inspiração para o nosso dia a dia de vida, de trabalho e para galgarmos construir uma carreira sólida e quem sabe, ser um próximo homenageado”, considerou Lemes, sonhando com o caminho que a carreira policial militar pode leva-lo.

Para o comandante-geral da PM, coronel Gley Alves, o evento foi único e encantador. “Eu tinha outro compromisso, mas optei por prestigiar este evento. E foi a melhor escolha que fiz. Aqui estamos diante de profissionais que fizeram história na PM e ajudaram a transformar a nossa instituição”, enfatizou Alves, ao destacar que na década de 50, quando alguns dos homenageados ingressaram na PM, muitos dos policiais da ativa ali presentes não haviam nem nascido.

Policiais como o 3º sargento Antonio Silvestre dos Santos Filho, que entrou para as fileiras da PM em 1958. Aos 80 anos e ao lado do filho, que também é policial, o sargento disse ser um orgulho participar do evento.

Comentários Facebook