Profissionais preservam a história de Mato Grosso

Dia Nacional do Historiador – Foto por: Assessoria-Seges

Dia Nacional do Historiador

Nesta sexta-feira (19.08) é celebrado o Dia Nacional do Historiador, comemoração estabelecida pela lei nº 12.130 de dezembro de 2009. A data foi escolhida em homenagem ao dia de nascimento de uma das figuras mais significativas da história do país, Joaquim Nabuco (1849 -1910), considerado o principal representante político do abolicionismo no Brasil (movimento de luta pelo fim da escravidão), também exerceu as funções de jornalista, diplomata e de jurista.

Um dos locais de atuação de historiadores no Poder Executivo do Estado é a Superintendência de Arquivo Público de Mato Grosso, ligada a Secretaria de Estado de Gestão (Seges). Dos 34 servidores da instituição, 13 são formados em história e estão distribuídos nos setores de Atendimento, Preservação e Gestão de Documentos. O quadro de funcionários também é composto por oito estagiários, sendo sete acadêmicos de história.

Na área de Atendimento, os profissionais possuem conhecimento sobre os acervos e oferecem diversas possibilidades de acesso a assuntos de interesse do cidadão. No setor de Preservação, os documentos são conservados, ordenados e preparados para as pesquisas dos visitantes. Na Gestão Documental, medidas como capacitação de servidores de outras secretarias do Estado, são adotadas para que registros escritos e digitais sejam guardados de forma organizada, visando a disponibilidade no futuro.

Experiência

A historiadora com o maior tempo de serviços prestados ao Arquivo Público é Yumiko Takamoto. Em outubro deste ano completará 16 anos na instituição. A servidora é responsável por transcrever documentos principalmente do período colonial.

Em 2007 foi publicado o livro Annaes do Sennado da Camara do Cuyabá, transcrição realizada por Yumiko que reúne os registros feitos por vereadores da capital de 1719 a 1830. É possível encontrar acontecimentos ocorridos na cidade como conflitos políticos e sociais e até sobre festividades. “Eu realizo um trabalho que não é fácil, exige muita técnica, porém é muito gratificante, todos os dias adquiro novos conhecimentos”, afirma a servidora.

Extra jornada

Flavio Nascimento também é um dos historiadores do Arquivo Público e trabalha com fotografias no setor de Documentos Escritos. Além das oito horas que atua durante o dia, o servidor exerce a função de professor de nível superior durante a noite. “Eu leciono a disciplina Teoria Política e Jurídica a estudantes do curso de Direito. O objetivo da matéria é mostrar a importância que os contextos sociais têm na construção de sociedades e indivíduos”, afirma Flávio.

Entre os historiadores do Arquivo Publico, quatro possuem especialização, cinco mestrado e um doutorado. Todos são exemplos de dedicação a profissão.

Fonte de pesquisa

A Estagiária do Arquivo, Kawany da Silva, cursa o 5º semestre de história e assim que concluir essa etapa, pretende seguir para mestrado. A estudante almeja realizar pesquisas especificas no local em que trabalha, pois isso irá ajudá-la nesse projeto de vida. “Na Universidade nós estudamos sobre os vários tipos de documentos, aqui temos contato direto com eles”. Para ela, esse acesso a informação é fundamental ao historiador.

Já Vanda da Silva, superintendente do Arquivo Público que está na unidade desde 2004, adquiriu experiência em vários setores e fez mestrado e doutorado com base em documentos da instituição. Em relação ao dia do historiador ela ressalta: “é importante pensar no historiador como um profissional importante para a sociedade no sentido de perceber e entender a motivação e atuação do homem ao longo do tempo”.

Comentários Facebook