Projeto de lei recomenda instalação de postos de primeiros socorros em parques

Caminhada no Parque Mãe Bonifácia (Foto: JLSiqueira/ALMT)

Em busca de saúde ou de momentos de diversão e relaxamento, cidadãos mato-grossenses são cada vez mais adeptos a passeios em parques urbanos. Na Capital, pelo menos quatro deles ficam lotados, sempre no começo e no fim do dia. Mas o que era para ser uma boa prática pode acabar se tornando um risco e, diante disso, tramita na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) o Projeto de Lei (PL) 332/2016, que dispõe sobre a indicação de locais onde se encontram telefones para chamadas de emergência e postos de primeiros socorros.

De autoria do deputado Guilherme Maluf (PSDB), o PL estabelece a ampla divulgação sobre a localização do posto de primeiro socorro, caso exista, do telefone para chamadas de emergência e os pontos onde há sinais de telefonia móvel e de internet.

O projeto também indica que os parques públicos e privados de Mato Grosso devem, preferencialmente, manter um posto de atendimento devidamente equipado e guarnecido por médico ou profissional socorrista.

Para o médico Álvaro Assumpção, responsável pela Supervisão de Saúde e Qualidade de Vida da ALMT, o ritmo acelerado de vida atual deixa as pessoas mais vulneráveis a mal súbito, que pode ocorrer em qualquer ambiente. “Quando as pessoas passam por situações de estresse ou que exigem maior esforço, como é caso da prática de esportes, aumentam as possibilidades de sofrer algum mal. Por isso, o projeto não só é viável como relevante no intuito de acelerar ou antecipar o socorro”, destacou o médico.

De acordo com o PL, é inviável a manutenção de equipe médica ou socorrista em todos os parques do estado de Mato Grosso, sendo assim, a instalação de aparelhos telefônicos para chamar o serviço de emergência se faz necessária para viabilizar a solicitação de atendimento.

A coordenadoria de Unidades de Conservação da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) informou que os três parques da Capital possuem uma central com telefones fixos e que os funcionários são capacitados para prestar os primeiros atendimentos e chamar o atendimento pré-hospitalar quando necessário. A Sema é responsável pela administração dos parques Mãe Bonifácia, Massairo Okamura e Zé Bolo Flô.

A secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural Sustentável de Várzea Grande, Helen Faria Ferreira, que administra dois parques municipais, avalia a proposta como positiva, desde que haja orientações de como viabilizar isso. “Temos que analisar do ponto de vista prático. O telefone teria que ser específico para este tipo de chamada e poderia ser viabilizado a partir de parceria com  as operadoras de telefonia”, explicou.

O auxiliar administrativo Ruiter Anderson, 22, frequenta parques pelo menos três vezes por semana para praticar exercícios e aprovou a sugestão de lei, apesar de nunca ter presenciado alguém passando mal. “Não dá para saber quando alguém vai sofrer algo, então isso traria mais segurança para os praticantes de esportes ao ar livre”, afirmou.

A matéria  foi lida em plenário e deve ir a primeira votação dos parlamentares ainda este mês. Depois, o PL fica aberto a sugestões e adequações e depois, caso tenha sido aprovado, volta para a segunda votação e é encaminhado ao Poder Executivo.

Fonte: AL MT
Comentários Facebook