Projeto Reconstruindo Sonhos é implantado no Centro de Ressocialização de Cuiabá


Mais uma etapa do projeto Reconstruído Sonhos foi implantado, nesta quarta-feira (24.11), no Centro de Ressocialização de Cuiabá. Ao todo, 24 reeducandos devem participar das atividades do projeto, que oferece aos participantes a compreensão do sentido da vida e a possibilidade de uma qualificação profissional.

O programa tem como objetivo fortalecer a reinserção social dos recuperandos, além de contribuir na redução da reincidência criminal, por meio de atividades e conversas que serão realizadas toda semana. 

O projeto é uma iniciativa do Ministério Público de Mato Grosso e conta com parceria da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), Poder Judiciário, Defensoria Pública, Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB-MT), Fundação Nova Chance (Funac), Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Penitenciário (GMF), Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Seciteci) e Instituto Ação Pela Paz. 

Na primeira fase, serão realizados 12 encontros na unidade que irão abordar temas como valores, espiritualidade, trabalho, relações interpessoais, futuro e outros temas. Além disso, o projeto irá ofertar curso profissionalizante aos reeducandos, como curso de pedreiro e pintor. 

O vice-governador de Mato Grosso, Otaviano Pivetta, destacou a importância do projeto e as ações do governo para o Sistema Penitenciário. “Iniciativas como essa são necessárias e importantes, pois trazem esperança e oportunidades para dentro dos presídios. Eu quero parabenizar a iniciativa e dizer que o Estado de Mato Grosso, no atual governo, está disposto e investindo no Sistema Penitenciário, modernizando todo o sistema. Na vice-governadoria sempre tem uma porta aberta, conte conosco”, destacou.  

O Juiz titular da 2ª Vara Criminal da comarca de Cuiabá e coordenador do Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário, Geraldo Fidelis, enfatizou a relevância que o trabalho tem na vida dos reeducandos ainda no regime fechado.

“Nosso objetivo é diminuir a taxa de reincidência, é matar o crime com o amor, a bala contra o crime é o amor, o carinho e o acolhimento e o projeto consegue trazer isso aos reeducandos, acolhendo eles ainda no regime fechado, pois quando chegam no semiaberto, já chegam com outra visão, são ofertadas oportunidades, dessa forma, contribuindo para que não retornem à prática do crime”, pontuou o juiz.

A superintendente de Políticas Penitenciárias, Sibeli Nardoni Roika, agradeceu aos parceiros pela força de vontade na implementação do projeto nas unidades penais. “Gostaria de agradecer aos servidores que mesmo diante das limitações, acolheu o projeto e está fazendo acontecer. O projeto contribui na ressocialização do reeducando”, enfatizou. 

A coordenadora do Centro de Apoio Operacional Criminal e da Execução Penal, promotora de Justiça Josane Fátima de Carvalho Guariente, ressaltou as ações do projeto para as pessoas privadas de liberdade. “Esse projeto vai proporcionar aos pré-egressos a qualificação para quando sair do Sistema Penitenciário, conseguir uma oportunidade de emprego. Com o projeto, essas pessoas terão a oportunidade de pensar e reconstruir seus sonhos. É preciso ter diálogo com a sociedade”, salientou. 

O diretor do CRC, Winkler Teles de Freitas, comemorou e agradeceu a implementação do projeto na unidade. “Só tenho de agradecer pela implementação de mais um projeto que veio para contribuir na vida dos nossos reeducandos, gratidão” 

Também estiveram presentes na implementação do projeto na unidade o promotor de Justiça e assessor do corregedor-geral do Ministério Público de Mato Grosso, Wesley Sanches Lacerda, o promotor de Justiça da 30ª Promotoria Criminal de Cuiabá, José Mariano de Almeida Neto, o promotor de Justiça da 4ª Promotoria Criminal de Cuiabá, Rubens Alves de Paula, a consultora regional de Audiência de Custódia do programa Fazendo Justiça do Conselho Nacional de Justiça, Carolina Santos Pitanga de Azevedo e demais autoridades.

 Lançamento do projeto

O projeto Reconstruindo Sonhos foi lançado no começo deste mês de novembro na Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto May, em Cuiabá. 

A iniciativa do programa está em fase de implementação nas unidades penais do interior, como é o caso de Colniza. No próximo semestre deve ser iniciado nas cadeias públicas de Comodoro e de Colíder. Além disso, está em tratativa a implementação do projeto na Penitenciária Central do Estado (PCE).

(Com supervisão de Débora Siqueira) 

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook