Projeto vai levar inovação e sustentabilidade a produtores da Amazônia Legal

A ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) lançou nesta segunda-feira (9) o projeto Inovação nas Cadeias Produtivas da Agropecuária para a Conservação Florestal na Amazônia Legal.

O objetivo é levar inovação para as cadeias produtivas da carne, soja e madeira para que aumentem a produtividade e valor dos produtos alinhados com o uso sustentável dos recursos naturais e conservação da floresta amazônica.

O projeto será implantado de 2020 a 2024 em cinco estados: Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia e Tocantins.

As ações buscam criar ferramentas para acompanhar a situação socioambiental dessas cadeias produtivas, gerar agregação de valor aos produtos das setores com bons índices de sustentabilidade e fornecer assistência técnica e gerencial para os produtores com baixos índices de sustentabilidade, segundo o secretário-adjunto de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação do Mapa, Pedro Alves Corrêa Neto, que apresentou o projeto na cerimônia.

A iniciativa integra o portfólio de cooperação entre Brasil e Alemanha. O governo alemão, por meio do banco de desenvolvimento do país (KfW), irá doar 25,5 milhões de euros e o Ministério aplicará 12 milhões de euros. O Mapa irá gerenciar e monitorar o projeto, o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) atuará como agente financeiro e o KfW será a agência financiadora.

As ações serão executadas por meio de organizações públicas em cooperação com produtores rurais, setor privado e sociedade civil. De acordo com o secretário-adjunto, alguns dos benefícios do projeto são: alinhamento da produção com acordos internacionais, rastreabilidade das cadeias produtivas, abertura a novos mercados (internos e externos) e desenvolvimento de iniciativas inovadoras.

A ministra destacou que o projeto permitirá o acesso dos produtores à tecnologia e melhores práticas de produção , principalmente entre os pecuaristas, incluindo-os no sistema produtivo sustentável. “Não queremos excluir ninguém. Vamos trazer pessoas para que produzam melhor, gerem renda, qualidade de vida e estejam integrados na pecuária sustentável, na madeira sustentável”, disse.

Para o embaixador da Alemanha no Brasil, Georg Witshel, a iniciativa mostra o compromisso do Brasil em produzir de forma sustentável e em cumprir o Código Florestal Brasileiro. “Estamos convencidos de que isso irá melhorar a posição dos produtos brasileiros nos mercados internacionais”, afirmou.

O secretário de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação, Fernando Camargo, agradeceu o trabalho da equipe e ressaltou a expectativa no sucesso do projeto. O representante do IICA no Brasil, Hernan Chiriboga, afirmou que o instituto se compromete a dar “ferramentas aos produtores para que possam produzir de forma sustentável”.

Participaram da cerimônia o diretor do KfW, Martin Schroder, e secretários do Mapa e representantes de instituições ligadas ao Ministério.

Informações à imprensa:
[email protected]

Comentários Facebook