Rota do Peixe do Vale do Rio Cuiabá agora é lei

Dep. Botelho (Foto: Marcos Lopes/ALMT)

Promover o desenvolvimento econômico e sociosustentável dos municípios do Vale do Rio Cuiabá, a partir da instituição da “Rota do Peixe”, é aprobado na AL. A finalidade da lei nº 10.426, de autoria do vice-presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho, foi publicada no Diário Oficial desta quarta-feira (31.08).

Ao todo, dez municípios serão beneficiados, a partir de cinco rotas distintas. São eles: Santo Antônio de Leverger e Barão de Melgaço (Rota I), Nossa Senhora do Livramento e Poconé (Rota II), Jangada e Acorizal (Rota III), Rosário Oeste e Nobres (Rota IV) e Cuiabá e Várzea Grande (Rota V).

“A partir desta lei, queremos incentivar o potencial gastronômico regional e do ecoturismo para impulsionar a produção artesanal e industrial da cadeia do peixe, criar oportunidades de emprego e renda visando à permanência das famílias nessas comunidades”, declara Botelho.

Além disso, a nova legislação deverá incentivar a criação de núcleos locais de produção em comunidades tradicionais de outros produtos que venham agregar valores, bem como a difusão de tecnologias através de cursos, palestras e assistência técnica sobre a cadeia produtiva local e divulgação das atividades festivas regionais.

Outro setor que será favorecido é a do turismo rural, a partir da instalação de novas pousadas, restaurantes e similares. Uma vez que amplia o incremento promocional da pesca e comercialização do peixe, valorizando ainda toda a cadeia produtiva.

Para Botelho, são essas ações que vão fortalecer as comunidades com a valorização das famílias ribeirinhas, bem como aquelas que se dedicam à agricultura familiar.

“A atividade pesqueira é intrínseca às habilidades da população ribeirinha, que há muitas gerações convivem harmonicamente com o Rio Cuiabá, tirando dele seu sustento, mas ao mesmo tempo defendendo a preservação dessa riqueza natural que envolve nossas cidades”, conclui Botelho.

Fonte: AL MT
Comentários Facebook