Rubens Okada deixa a Direção da Politec e avalia os resultados da sua gestão

Perito Criminal há 15 anos, Rubens Sadao Okada deu uma pausa na rotina de produção de laudos no plantão da Criminalística em Cuiabá quando decidiu, segundo suas palavras, “deixar de ser pedra e se tornar vidraça”.

A vocação para trabalhar na Gestão começou a se revelar quando aceitou o convite, em 2005, para assumir o posto de Chefe de Equipe do Plantão. À época, integrante de um grupo formado por apenas três peritos, não havia opção de recusa.

No ano seguinte, foi promovido à Coordenador de Criminalística, na então Superintendência de Perícia Oficial e Identificação Técnica, tendo como principais diferenciais a disciplina e a eficiência na produtividade dos laudos.

Em 2010, já na função de Diretor Geral Adjunto, teve a oportunidade de acompanhar de perto o processo de planejamento e tomadas de decisões da Gestão Pública. No ano seguinte, em 2011, tomou posse no cargo de Diretor Geral, permanecendo por quatro anos e sete meses. 

Engenheiro Civil por formação, Okada usou a análise estatística para quantificar resultados e traçar metas para a Politec.

À frente de uma das instituições de Perícia Criminal mais respeitadas do país, Rubens Okada diz se orgulhar de ter contribuído para a realização do maior incremento de peritos criminais da história de Mato Grosso e de contar com servidores que se destacam pela competência técnica -com trabalhos reconhecidos em congressos científicos nacionais e internacionais.

Deixa o cargo de Diretor Geral para se dedicar à família, esposa e os dois filhos, e à profissão que escolheu, de Perito Oficial Criminal. Nesta entrevista, Rubens Okada avalia os principais resultados e desafios da Gestão, a evolução da Politec e suas perspectivas. 

Como foi a experiência de dirigir a Politec por 4 anos e 7 meses?

A experiência foi sendo adquirida juntamente com os desafios que surgiam. Em poucas palavras, podemos resumir que foram enriquecedoras para minha vida profissional e pessoal. Tenho a certeza que evoluí como servidor público e como ser humano. Os desafios, que não foram poucos, superamos muitos, e outros ainda estão a serem superados.

Como você avalia o quadro de pessoal atual e a qualidade no atendimento da Politec em Mato Grosso, e como ele pode ser melhorado?

Melhoramos o quantitativo nas carreiras de perito oficial criminal. Em 2012, éramos 141 e hoje somos 274. Médicos legistas, tínhamos 81 e hoje são 141. Odontolegistas eram três e atualmente temos seis. Mas, ainda assim, são necessários alguns ajustes para atender à demanda e às legislações vigentes. Nas carreiras de papiloscopistas e técnicos de necropsia, não conseguimos evoluir. Tínhamos 167 papiloscopistas e hoje temos 132. Primeiramente, para melhorar, é necessária a revisão do lotacionograma, pois a Lei que define estes quantitativos da Politec é de 2005, baseada em um estudo realizado em 2003. Já se passaram 13 anos e o Estado de Mato Grosso evoluiu muito neste tempo, apenas desta forma é possível o incremento nas carreiras de Peritos Oficiais, que atualmente ocupam quase que a totalidade das vagas disponibilizadas na Lei . A outra necessidade seria a realização de concurso publico para as carreiras finalísticas da Politec de papiloscopistas e técnicos de necropsia.

Na sua gestão, qual foi a contribuição do conhecimento científico para as áreas da Perícia Oficial e Identificação Técnica?

Foi de suma importância em todos os sentidos, tanto para contribuir com a Segurança Pública e a Justiça Criminal, quanto para acompanhar a evolução das metodologias e tecnologias de novas áreas que surgem, tais como na área de informática. Ajudou, ainda, a aumentar a nossa produtividade e, com isto, melhorar o tempo-resposta e a qualidade dos produtos elaborados pela Politec.

As reuniões gerenciais, realizadas na capital e no interior, foram uma das marcas de sua gestão. Qual a contribuição destes encontros para o resultado final?

As reuniões gerenciais, implantadas desde o início de nossa gestão em 2012, foram uma das ferramentas fundamentais para a evolução da Politec, pois tornaram possível o nivelamento e a uniformização das informações com todos os setores e regionais da Politec, de forma transparente. Todos passaram a conhecer a realidade, necessidades e problemas de cada setor e região. Com isso, quando tomávamos as decisões, os questionamentos eram menores, pois o corpo gestor tinha ciência e participação.

Durante sua gestão, onde a Politec mais avançou?

Podemos destacar o sistema Politec online, pioneiro no Brasil, que disponibiliza os laudos periciais às autoridades da persecução penal (delegados de policia, promotores de justiça e juízes), onde não há mais a impressão do laudo, sendo este disponibilizado através da web.  A modernização do sistema de identificação civil e criminal, que também compõe o sistema Politec online, estando preparado para o incremento de novas tecnologias como a biometria. Além da disponibilização de acessos a serviços diretamente ao cidadão, como o acompanhamento do andamento dos processos de confecção da carteira de identidade e atestados de antecedentes criminais. Avançamos também com as nossas regionais pelo interior do Estado, onde estávamos presentes em 2012 com todos os nossos serviços (pericia criminal, medicina legal e identificação técnica) em nove regionais no interior e hoje estamos em 14 regionais. Além da criação da unidade de pericia da Contabilidade Forense, houve a especialização das periciais de crimes contra vida, acidentes de transito, crime contra o patrimônio, engenharia legal e meio ambiente na região metropolitana. A implantação da Gespública em 2012 e hoje já estamos em níveis respeitáveis dentro do Estado de Mato Grosso.  A criação da Central de Atendimento ao Cidadão, como um canal de comunicação com a ouvidoria setorial através de um 0800. Mas o principal avanço nestes quase cinco anos foi o aumento de produtividade de toda a equipe. Atingimos em 2015 o número de aproximadamente 71.688 laudos concluídos de um total de aproximadamente 71.874 perícias solicitadas em todo o Estado de Mato Grosso, perfazendo uma produtividade de aproximadamente 100% (cem por cento).

O que podemos esperar da Politec no futuro?

Acredito que a Politec continuará avançando sempre na direção da melhoria de seus serviços, porque temos um corpo gestor e servidores de alta qualidade e acima de tudo, com alto grau de comprometimento com a instituição e a sociedade.

Para aqueles que ainda não conhecem a Politec ou para quem pretende ingressar nas carreiras da instituição, que mensagem você deixaria?

A Politec está entre as melhores instituições do Brasil na sua área de atuação, sendo reconhecida em eventos internacionais por algumas de suas inovações.  Enfim, uma instituição que necessita de profissionais comprometidos para contribuir com a cidadania, com a Justiça Criminal e com os Direitos Humanos.

Qual mensagem você deixa aos servidores da instituição e ao corpo de gestores que o acompanharam?

A todos os servidores da instituição, aos gestores que passaram e deixaram sua contribuição, e aqueles que me acompanharam até aqui na nossa gestão, tenho muito a agradecer pelos trabalhos realizados e resultados alcançados com a dedicação e importância necessária na realização do nosso oficio, aos ensinamentos e experiências compartilhadas e vitórias alcançadas.

Comentários Facebook