Secretária de Saúde e equipe técnica se reúnem com Estado para solicitar doses de vacinas pendentes


Reprodução

Clique para ampliar

A secretária municipal de Saúde, Ozenira Félix e as coordenadoras da campanha de vacinação contra o coronavírus, Valéria de Oliveira e Flávia Guimarães vão se reunir nesta segunda-feira (1º) com o secretário estadual de Saúde Gilberto Figueiredo. A gestora solicitou a reunião para solicitar ao Estado as 3.030 doses do imunizante Coronavac destinados para a segunda dose dos trabalhadores da saúde.

“Nós vamos nos reunir na segunda-feira com o secretário Gilberto para tratarmos sobre a vacinação. Temos um grupo que deve começar imediatamente a segunda dose, que não foi encaminhada para nós. Vamos discutir com o secretário Gilberto para tomarmos decisões em relação a isto. Possivelmente na terça-feira vamos retomar a vacinação e até lá divulgaremos qual grupo vamos atender e qual o quantitativo de doses disponíveis. Assim que fizermos as definições sobre a segunda dose junto com a SES, vamos divulgar o que ficou decidido”, disse a secretária Ozenira.

Valéria de Oliveira explicou que todas as doses de vacinas recebidas em Cuiabá já vieram com a especificação sobre o grupo a ser vacinado e quais eram primeira ou segunda dose e que as 3030 segundas doses dos trabalhadores de saúde não foram entregues para Cuiabá até o momento. “Temos no nosso estoque as 3120 doses destinadas à segunda dose dos idosos, que começarão a ser aplicadas em 11 de março. Na especificação das doses de Coronavac que recebemos nesta sexta-feira (26) não consta que devam ser usadas para este público já imunizado com a primeira dose. Estamos seguindo à risca as diretrizes do Plano Nacional de Imunização e precisamos das doses que ainda não foram entregues para que possamos contemplar todo este grupo apropriadamente”, disse.

A coordenadora esclarece que parte das estratégias para esta nova fase da campanha dependem do recebimento destas doses que faltam. “Nós temos grupos específicos para vacinar, de acordo com o Plano Nacional de Imunização e dependemos destas vacinas para prosseguirmos corretamente. Caso essas doses não sejam entregues para Cuiabá, precisaremos fazer adaptações para prosseguirmos com a campanha, com o temor de faltar doses para os grupos subsequentes”, concluiu.

 

Comentários Facebook