Seduc publica revistas com análises sobre Avaliação do Ensino

Revistas da Avaliação Diagnóstica são publicadas

Revistas da Avaliação Diagnóstica são publicadas

A Secretaria de Estado da Educação, Esporte e Lazer (Seduc), em parceria com o Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora (CAEd/UFJF), publicou versões online de três revistas que apresentam análises e reflexões sobre a Avaliação Diagnóstica do Ensino Público Estadual de Mato Grosso (Adepe-MT), realizada em 29 e 30 de março deste ano com 163.215 alunos da rede estadual de ensino.

O objetivo da avaliação é conhecer o nível de proficiência dos estudantes, a partir da realidade e dos elementos curriculares do contexto local. Agora, de posse desses dados a Seduc vai desencadear intervenções pedagógicas nas escolas.

De acordo com o Superintendente de Formação dos Profissionais da Educação Básica da Seduc-MT, Kilwangy Kya Kapitango-a-Samba, com as revistas os professores e gestores terão à disposição descrições sobre avaliação em larga escala, as Matrizes de Referência, a descrição pedagógica dos Padrões e Níveis de Desempenho, entre outros. “São instrumentos essenciais para balizar a análise dos resultados”, informa.

Ele explica que essa tarefa deve ser realizada por todos os membros da comunidade escolar: gestores, professores e equipe técnica. “É necessário que todos os agentes envolvidos se apropriem dos resultados produzidos pelas avaliações, incorporando-os às suas práticas e reflexões sobre as dinâmicas de funcionamento da escola, explícitas no Projeto Político Pedagógico e no currículo praticado”.

Amplo material

Segundo a professora e coordenadora de Formação do Cefapro de Juara, Rosana Maria Christofolo da Silva, o material é importante discutir como a escola pode se apropriar dos resultados da avaliação e que estratégias pedagógicas podem ser utilizadas para que os estudantes se desenvolvam nas áreas em que apresentaram mais dificuldades. “Os Encartes das Revistas Pedagógicas trazem o passo-a-passo que a escola precisa fazer, por ano e disciplina”.

A professora Irene de Souza Costa avalia que a Adepe-MT traz resultados que extrapolam a sala de aula e alcançam ações de gestão. “Ela deve proporcionar aos gestores educacionais analisar os programas e projetos em andamento, os objetivos e metas a alcançar e promover políticas públicas que orientem a gestão, a formação e o desenvolvimento profissional para que seus diversos atores (gestores, formadores, docentes) utilizem melhor os resultados”.

Portal

No portal, os gestores e professores poderão acessar os dados de desempenho geral da escola e individual de cada aluno. Porém, Kapitango-a-Samba aponta que o objetivo não é ranquear as unidades escolares, já que essa não é uma ferramenta de classificação. “É instrumento de formação, daí a necessidade conceitual de nos referirmos à avaliação formativa, para evitar a confusão de entendimento corrente no cotidiano escolar e ressaltar sua dimensão formativa (promove construção de conhecimento de forma crítica e criativa), social (inclusiva e democrática) e estratégica (tomada de decisão na gestão pedagógica e na formulação de políticas públicas)”, argumenta.

Segundo ele, a Adepe-MT está entre as estratégias da Seduc para diagnosticar as necessidades de aprendizagens dos estudantes para planejar, executar e orientar ações e políticas públicas com foco na melhoria da educação.

Para conhecer o conteúdo das revistas acesse: http://www.adepemt.caedufjf.net

Comentários Facebook