Técnicos são capacitados para atuar no fortalecimento de vínculo familiar nos Cras

A segunda e última etapa do “Encontro Técnico Estadual do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos” terminou na quarta-feira (13.11) com a capacitação de cerca de 150 orientadores sociais e técnicos de referência dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) de 29 municípios do Estado.

Os municípios participantes foram Alta Floresta, Alto Araguaia, Alto Garças, Araguaiana, Araputanga, Aripuanã, Barra do Bugres, Cáceres, Campo Novo do Parecis, Campos Verde, Chapada dos Guimarães, Confresa, Cuiabá, Alto Floresta, Diamantino, Guarantã do Norte, Indiavaí, Jauru, Juara, Lucas do Rio Verde, Marcelândia, Matupá, Mirassol D’ Oeste, Nobres, Nova Mutum, Nova Olímpia, Nova Ubiratã, Nova Xavantina, Paranatinga.

Situado no âmbito da proteção social básica, o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) é desenvolvido nos Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) de forma contínua, por faixa etária e de acordo com as especificidades de cada município. Neste sentido, o evento teve como objetivo propiciar aos profissionais elementos que subsidiem a execução das ações com intuito de melhorar a qualidade da oferta dos serviços desenvolvidos.

A superintendente de Serviços Socioassistenciais, Cristina Saito, defendeu a necessidade do trabalho para o efetivo desenvolvimento dos técnicos e orientadores que atuam na ponta.

“Apesar da restrição econômica que estamos vivendo, priorizamos este tema que desde 2014 foi deixado de lado. É um anseio que a equipe da assistência social traz com o diferencial que é atender todos os trabalhadores para que os serviços cheguem ao usuário de forma efetiva”, pontuou.

A representante do Fórum dos Trabalhadores do Sistema Único de Assistência Social, Marcilene Pereira Rodrigues, que participou do evento enfatizou a complexidade do serviço realizado pelos profissionais e por isso a importância da formação continuada.

“Esse encontro é primordial porque o serviço de convivência passou por um reordenamento e com isso todas informações, orientações e capacitações são bem-vindas, pois precisamos estar informados para levar os serviços de qualidade”,  disse.

Conforme a técnica de referência do Cras, Gisele Rodrigues Martins, que atua há 15 anos na área, a formação possibilita a troca de saberes fortalecendo toda rede de trabalhadores do Suas.

“É a primeira vez que participo de um encontro nesse formato, mais acompanhava e percebia que de fato faltava essa capacitação, essa oportunidade de formação. Parabenizo a Setasc e os gestores por proporcionar esse momento, na ideia da gente somar para conseguir fazer uma execução adequada”, declarou.

No primeiro dia de evento foi apresentado uma breve explanação do SCFV, com o conceito, objetivo, público alvo, situações prioritárias e a articulação com os demais serviços socioassistenciais. Também foram discutidos os eixos: O perfil e atribuições das equipes técnicas responsáveis pelo SCFV, planejamento das ações socioassistenciais e pontos norteadores do serviço.

Na quarta-feira, os profissionais realizaram uma oficina participativa com apresentação da metodologia do trabalho e divisão dos grupos. No final foi aplicada uma avaliação para verificar a aprendizagem dos técnicos de referências e orientadores sociais.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook