Toyota Corolla já era 4×4 e aventureiro antes da moda dos SUVs


source
Toyota Corolla
Divulgação

Toyota Corolla em versão perua aventureira faz parte de uma era que foi substituída pela dos SUVs de vários tipos e tamanhos

Apesar de recentemente a Toyota ter lançado o Corolla Cross, uma versão SUV do sedã médio, esta não foi a primeira vez que o modelo da marca japonesa teve uma variação que se encaixa na definição dos utilitários esportivos.

LEIA MAIS: Corolla Cross é o SUV nacional da Toyota que chega em 2021

Em 1982, a marca lançou no Japão o Sprinter Carib, station wagon derivada do Corolla II e que tinha o objetivo de concorrer com as versões 4×4 do Subaru Leone (o antecessor do Impreza). Equipada com um motor de 1.5 de 83 cv, trazia a proposta de aproximar as peruas dos utilitários tradicionais, trazendo como destaque um sistema de tração 4×4 “raiz” e que era acionado por meio de uma alavanca. Já no painel, chamava a atenção os medidores de inclinação da carroceria.

Em 1988, o modelo ganhou uma segunda geração, que trazia um motor 1.6 de 100 cv, combinado a um sistema de tração mais moderno, do tipo integral, além de uma suspensão com altura regulável, que permitia erguer a carroceria em até 30 mm para se adequar a pisos adversos.

A última geração da Sprinter Carib foi revelada em 1995. Maior que as anteriores, compartilhava a carroceria básica com a Corolla Wagon que chegou a ser vendida no Brasil nos anos 1990. Trazia uma versão de 115 cv do motor 1.6, além de um propulsor 1.8 de 120 cv.

Mas o mercado já começava a migrar para um outro tipo de público, que não fazia questão do apelo off-road real. Pela primeira vez, a station passou a ser oferecida também com tração apenas nas rodas dianteiras. Se antecipando à mudança na preferência do público para os SUVs, a Toyota tirou a Sprinter Carib de linha em 2002.

As peruas aventureiras

Toyota Corolla
Divulgação

Toyota Corolla teve algumas versões perua no Japão que também acabaram sendo substituídas com utilitários esportivos

Antes que os SUVs assumissem o espaço de protagonistas na produção automobilístico mundial, as station wagons 4×4 eram a opção mais acessível quando se falava em carros urbanos com vocação para o uso off-road leve.

LEIA MAIS: Por que estamos matando as nossas peruas?

Além da Sprinter Carib, outro representante da categoria a partir dos anos 1990 foi a Subaru Outback, enquanto modelos como a Golf Variant chegaram a contar com variantes com tração nas quatro rodas. Até no Brasil já tivemos um representante local dessa categoria: a Ford Belina 4×4, fabricada na década de 1980.

Mas a mudança da preferência do público para os SUVs acabou condenando esses modelos. No ano passado, Volkswagen tirou de linha a Golf Alltrack, variação com tração integral da Golf Variant que era produzida no México para os Estados Unidos, deixando a área livre para o VW Tiguan Allspace.

LEIA MAIS: Audi A4 Avant S-Line: para poucos e bons

Quem não morreu acabou tendo que se adaptar. Além das peruas do Toyota Corolla , outro exemplo é a própria Subaru Outback, que acabou se descolando do Legacy e acabou evoluindo para um modelo independente, mais próximo dos SUVs.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook