Várzea Grande inaugura o Cadim e reforça política de medicamentos e insumos

Com R$ 8 milhões em medicamentos e insumos e mais uma licitação em andamento no valor de R$ 20 milhões, a Prefeitura de Várzea Grande inaugurou as novas instalações do Centro de Abastecimento e Distribuição de Insumos e Medicamentos – CADIM. A mesma visa dar mais transparência, eficiência e resultado na política de atendimento para os pacientes do Sistema Único de Saúde.

Na reformulação organizacional da Secretaria de Saúde do município de Várzea Grande, o Centro de Abastecimento e Distribuição de Insumos e Medicamentos – CADIM – ganhou nova sede, que vai concentrar em um só espaço os serviços de aquisição, distribuição e dispensação de medicamentos e insumos hospitalares, das redes de atenções básica, secundária e terciária, no atendimento e aprimoramento do Sistema Único de Saúde – SUS do município.

Com o novo CADIM Várzea Grande já conta com o que há de mais moderno e eficaz no controle de distribuição e armazenamento de medicamentos, pois a unidade segue normas e padrão de qualidade do Ministério da Saúde (MS), com emprego de itens de segurança e de tecnologia de ponta.

Para a prefeita Lucimar Sacre de Campos, enfrentar o desafio da informatização na distribuição de medicamentos é promover a transparência numa das áreas prioritárias de atendimento aos cidadãos e também evitar gastos desnecessários e prejuízos para a população. "O Sistema Único de Saúde é a principal conquista da população no âmbito das políticas públicas. Por isso é fundamental praticarmos de fato a indispensável transparência na gestão, usando a tecnologia a serviço da saúde pública. O novo CADIM é informatizado, e permite controlar a aquisição casada com a distribuição, evitando desperdício e vencimento de produtos e permitir que haja a troca de medicamentos com outras secretarias municipais para não ocorrer a perda de validade dos mesmos. Primamos por uma Gestão Pública eficiente e esta eficiência chegou à Gestão de medicamentos”, disse a prefeita. 

Com 1.250 metros quadrados, o novo prédio do CADIM é totalmente climatizado e atende as normas do Ministério da Saúde, no que se refere à distribuição, controle de qualidade e prazo de validade dos medicamentos. O local oferece também toda a estrutura necessária para armazenamento dos lotes referentes a tipos de medicamentos, tanto os de consumo da Assistência Farmacêutica Básica como os das Assistências secundárias e terciárias, além de insumos hospitalares.

“Temos o compromisso de atender as políticas de organização da Rede de Serviços da Saúde Pública, com atendimento humanizado, e assistência farmacêutica de excelência que atendam a todos os munícipes que procuram as unidades de saúde do município. Em Várzea Grande podemos assegurar que não há falta de medicamento e que o setor tem sido um dos que mais recebem investimentos, tudo para garantir a saúde pública da população que utiliza a rede SUS. As aquisições dos medicamentos e insumos hospitalares hoje chegam à margem de R$ 8 milhões, o que garante o fornecimento integral dos medicamentos necessários e que fazem parte da obrigação do município em garantir”, informou a prefeita Lucimar Campos.

A gestora assegura que todo o trabalho feito na melhoria do CADIM é de suma importância e visa qualidade no atendimento, e principalmente, evita o desperdício de dinheiro público, o que permite que os medicamentos prescritos pelos médicos sejam ofertados a quem de fato necessita.  “A nossa palavra de ordem é avançar cada vez mais”.  

Os medicamentos no seu armazenamento, segundo o secretário de Saúde de Várzea Grande, Diógenes Marcondes, seguem as portarias ministeriais no que se refere à climatização necessária para que os produtos não percam a qualidade. “Tanto os medicamentos normais como os termolábeis (vacinas, insulinas) e psicotrópicos (remédios controlados), seguem regras e temperaturas necessárias para a sua estocagem.A vantagem é manter a qualidade e eficácia do produto”, explicou o secretário.

O secretário lembra ainda que desde 2015, a administração municipal tem se empenhado em oferecer ao município uma distribuição de medicamentos rigorosa e sem atrasos. “Em busca dessa otimização a prefeita Lucimar Campos investiu em equipamentos, em tecnologia e na capacitação dos servidores, a fim de se obter um trabalho transparente e eficaz, baseado em logística de programação e compra. Prova disso é a nova sede do CADIM que dispõe de toda a segurança, tanto no armazenamento quanto no transporte dos medicamentos que são entregues em todas as unidades de saúde do município, e o mais importante, sem que haja nenhum tipo de contratempo e nem atrasos na entrega”, afiançou Diógenes Marcondes. 

Segundo o secretário, graças ao novo modelo de gestão em medicamentos,adotada no CADIM, o município passa ter um controle mais apurado e eficaz, tanto na compra quanto na distribuição dos medicamentos e isso se deve a toda uma logística implantada no local, o que tem feito a diferença nos resultados atuais. “E o motivo deste esforço logístico é o de não interromper o atendimento em nenhuma unidade de saúde, principalmente, no Hospital e Pronto Socorro de Várzea Grande, bem como nas Unidades de Ponto Atendimento – 24h as UPAs dos bairros Ipase e Cristo Rei”, assegurou, dizendo ainda que segundo os  relatórios mensais da unidade , a perda de validade dos medicamentos não chega a 1% do total.

A superintendente do CADIM, Danielle Cristina Leite Martins de Campos, disse que a nova sede vai contribuir para o aprimoramento, implementação e integração das atividades da assistência farmacêutica nas ações e serviços de saúde, visando uma atenção contínuada, integral, segura, responsável e humanizada, tanto que a unidade antes mesmo de sua inauguração oficial, já tem recebido elogios. “Equipe técnica do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso, em visita técnica a sede do CADIM, aprovaram e elogiaram as novas instalações com base na qualificação do controle do sistema interno, já utilizado para aquisição, estoque e distribuição no município, além das novas tecnologias que resultaram na melhoria do atendimento nesta unidade”, completou.

O novo espaço do CADIM conta com controle rigoroso na margem de segurança dos medicamentos e no movimento de mercadoria que integram a Relação Municipal de Medicamentos Essenciais – REMUME, onde estão inscritos cerca de 1.000 itens, entre medicamentos e insumos. “Várzea Grande tem conseguido manter 90% do seu estoque e isso graças ao moderno sistema de informação que está sendo adotado pelo órgão, o que tem garantido a integração de todas as unidades que operam a rede SUS no município”, asseverou o secretário de Saúde Diógenes Marcondes.   

O secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, que na ocasião representou o Governador Mauro Mendes, elogiou a postura e determinação da prefeita Lucimar Campos que tem se preocupado em fazer o planejamento estratégico e acima de tudo gerenciando com rigor e transparência, aos recursos aplicados no setor de Saúde. “O CADIM é imprescindível em qualquer estrutura na área da saúde, para não comprar mais do que se necessita, para não comprar menos do que se precisa e para comprar aquilo que realmente se faz necessário para atender a demanda da população que precisa do apoio e atenção do Poder Público. Isso só se faz com planejamento. Várzea Grande tem feito o dever de casa. E isso só tem sido possível porque o secretario de Saúde tem o restrito apoio da administração superior”, disse o secretario, destacando que Várzea Grande virou uma indústria de eventos e inauguração na cidade. “Que pena que a legislação não permite que a senhora possa ser candidata a reeleição, mas tenho certeza de que quem vier sucedê-la na Administração Municipal vai ter certo trabalho porque vai ter de fazer igual ou melhor, e que não será fácil administrar Várzea Grande melhor que Lucimar Campos”, sentenciou.

Em seu pronunciamento, o senador Jayme Campos, disse que a prefeita Lucimar Campos muito tem feito pelo setor da saúde, prova disso é a melhoria do Hospital e Pronto Socorro, de instalações de unidades básicas, e inaugurações de PSFs e das duas Unidades de Pronto Atendimento 24 do Ipase e Cristo Rei “Tudo isso tem sido possível por causa do trabalho e da gestão adotada pela prefeita. Quem procura as unidades de saúde são pessoas humildes e carentes e necessitam de atendimento humanizado e de eficácia, por isso a preocupação em oferecer uma rede de atendimento que faça frente a demanda. A boa aplicação do dinheiro público tem possibilitado essas mudanças significativas no setor de saúde”, disse o senador.

Por: Katia Passos – Secom/VG

Fonte: Prefeitura de Várzea Grande
Comentários Facebook