Várzea Grande paga salário nesta segunda e contesta ilações de repasses federais


.

28/06/2020    1

Sinalizando que vai manter a regularidade nos compromissos da Prefeitura de Várzea Grande, mas condenando as distorções provocadas pela classe política e principalmente por gestores quanto aos repasses de recursos federais para os demais entes, a prefeita de Várzea Grande, anunciou neste domingo, 28 de junho, que os servidores públicos municipais recebem seus salários referentes ao mês de junho e que remontam a um valor da ordem de R$ 31 milhões para 8 mil servidores entre Prefeitura Municipal, Previdência Social – PREVIVAG e Departamento de Água e Esgoto – DAE/VG.

“Estes recursos são fundamentais para manter a economia aquecida em tempos de pandemia e de setores do comércio que não essenciais fechados para uma quarentena de 15 dias”, explicou Lucimar Sacre de Campos.

Desde maio de 2015 quando assumiu a gestão municipail, Várzea Grande tornou como uma de suas principais prioridades honrar o pagamento dos salários dos servidores no mês de trabalhado. “ Definimos um calendário anunciado no início de cada ano e rigorosamente cumprido, até mesmo antecipado quando possível, como será o caso deste mês de junho que será pago 29” informou Lucimar Campos.

“Aqui respeitando os princípios constitucionais da Administração Pública de Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade e Eficiência, oferecemos o mesmo tratamento para os servidores públicos municipais que são essenciais para a cidade e sua população, principalmente neste momento, para os da área da saúde e da segurança pública, além do social, e também para o comércio e a indústria e os parceiros de Várzea Grande, fornecedores, empreiteiros que mantém nosso principal estimulo, Várzea Grande não pode parar, por isso, estamos nos dedicando e empenhando para que as coisas aconteçam dentro de uma normalidade, mesmos vivendo estes momentos de pandemia”, disse a prefeita.

Em reunião com o Comitê de Enfrentamento ao Novo Coronavírus (Covid- 19), a prefeita adiantou que novas medidas deverão ser tomadas, lembrando que mesmo sendo Várzea Grande, dentro do Plano de Contingência , assinado com o Governo do Estado e com a Prefeitura de Cuiabá, de atender casos NÃO COVID, ou seja, ficando de retaguarda para todos os demais atendimentos das demais doenças e desafogando os atendimentos das unidades referência para a Coronavírus. “Mesmo assim atendemos casos de COVID e encaminhamos para as demais unidades”, salientou.

Ela lembrou que Várzea Grande compromete cerca de 30% de sua arrecadação com área de saúde e que este patamar de investimentos assegurou a capacidade do município em promover os atendimentos necessários durante a pandemia da Covid- 19.

“Nos últimos anos inauguramos as UPAs IPASE e Dr. Farid Seror (Grande Cristo Rei), reformamos e melhoramos 100% dos Hospital Pronto Socorro e reformamos também melhorando o atendimento das cinco policlínicas existentes (Jardim Glória, 24 de Dezembro, Marajoara, Cristo Rei e Parque do Lago) e entregamos três Unidades Básicas de Saúde nas regiões do São Simão, Aurília Sales Curvo e Santa Isabel e temos mais cinco sendo concluídas para elevar para 92% os atendimento da Atenção Básica que eram menos de 20% em 2015”, explicou a prefeita.

Lucimar Campos rechaçou e condenou as ilações disparadas por todos os lados de que Várzea Grande teria recebidos recursos da ordem de R$ 93 milhões repassados a maior para o enfrentamento da pandemia e para equilibrar a queda na arrecadação por causa da paralisação das atividades econômicas, o que reflete na queda no recolhimento dos impostos.

“ Os recursos extras que ingressaram nos cofres públicos são pouco mais de R$ 4,7 milhões e eles estão bem aquém da realidade e da necessidade do município e de sua população. Chega a ser um desatino, este tipo de comentários, venham eles de onde vierem. Reafirmo que aqui as coisas são transparentes e os órgãos de controle podem vir para dentro da administração municipal e acompanhar como aplicamos os recursos públicos em prol da cidade e de sua gente’, disparou Lucimar Sacre de Campos.

 

Por: Marianna Peres – Secom/VG

Comentários Facebook