Visibilidade feminina é tema de programa da Rádio Assembleia


Tatiana Medeiros e Hend Santana comandam o novo programa da Rádio AL

Foto: Helder Faria

“As mulheres pertencem a todos os lugares onde as decisões são tomadas”. A frase é da juíza americana Ruth Bader Ginsburg, que fez parte da Suprema Corte dos Estados Unidos e faleceu em setembro deste ano. Em seus anos de atuação, Ruth sempre defendeu os direitos das mulheres e a necessidade de espaços voltados à visibilidade feminina. Em Mato Grosso, a Assembleia Legislativa busca se consolidar como um desses lugares.

A partir desta sexta-feira (16), a Rádio Assembleia (89,5 FM) ganha um espaço para ampliar as vozes de mulheres de Mato Grosso e de outros lugares do país. A proposta do programa Lugar de Mulher é mostrar a atuação de mulheres na sociedade, contar as histórias delas e fomentar discussões essenciais relacionadas às suas lutas e desafios.

O programa vai ao ar sempre às sextas-feiras, às 11h30, com reprise aos sábados, às 17h. As apresentadoras Tatiana Medeiros e Hend Santana acreditam que a iniciativa vai proporcionar debates importantes e fortalecer o papel da Assembleia Legislativa como espaço aberto ao protagonismo feminino. “A ideia é mostrar a mulher a partir de diferentes perspectivas, sempre destacando que nosso lugar é onde a gente quiser”, disse Tatiana, que também é superintendente da Rádio Assembleia.

Hend, que se define como trans não binária,  considera o programa uma iniciativa ousada. “A Assembleia Legislativa e a Rádio são, antes de tudo, espaços políticos que precisam ser ocupados de forma plural. Melhor ainda é saber que poderemos fazer desse programa um lugar que terá muitas mulheres como protagonistas. Nosso papel de apresentadoras será mediar as conversas e dar destaque a essas pessoas”, explicou Hend.

O primeiro programa traz a entrevista com a Elydja Mundim, integrante do Corpo de Bombeiros. Ela tem atuado na linha de frente do combate aos incêndios na região do Pantanal. Após a veiculação, os programas ficarão disponíveis no site da Assembleia Legislativa.

Fonte: ALMT

Comentários Facebook