Wancley e sindicatos da Polícia Civil fazem reivindicações ao Governo do Estado

Wancley e sindicatos da Polícia Civil fazem reivindicações ao Governo do Estado (Foto: Eduardo Cardoso/Assessoria gabinete)

O pagamento regular de diárias, mudanças na etapa alimentação e regulamentação da jornada extraordinária dos policiais civis do estado foram os assuntos debatidos entre o deputado licenciado, Wancley Carvalho (PV), sindicatos e os secretários Paulo Taques, da Casa Civil, Rogers Jarbas, da Segurança Pública.

Durante a reunião, Paulo Taques afirmou que todos os pedidos serão atendidos. Por intermédio do parlamentar, juntamente com os sindicatos dos investigadores, escrivães e delegados, as reivindicações serão transformadas em minuta de lei. Posteriormente, o Governo receberá os documentos e  elaborará as propostas que serão apresentadas à Assembleia Legislativa.

Wancley, que também é policial civil, destacou a importância desses benefícios para melhoria da qualidade da segurança pública no estado. “São pleitos que se arrastam por anos; porém nunca antes foram resolvidos. Agradeço ao empenho do Governo em atender nossos pedidos. Conheço na pele a realidade, e sei da urgência em resolver esses problemas”, destacou o deputado.

Os pedidos apresentados são reivindicações antigas da categoria. Hoje, somente os policiais da capital recebem marmitas. O pedido é para que o benefício seja estendido, por meio de cartão alimentação, a todos os policiais plantonistas do estado. Durante a reunião, a remuneração da jornada extraordinária, ou seja, horas extras, também foi solicitada para todos policiais civis de Mato Grosso.

Quanto ao pagamento das diárias, a Secretaria de Segurança Pública está trabalhando com o orçamento atual para regularização. “Estamos remanejando recursos para iniciar a cultura do pagamento de diárias. O objetivo é que os policiais recebam as diárias antes das viagens e deslocamentos”, concluiu Rogers.

Também participaram da reunião os presidentes dos sindicatos dos escrivães (Sindepojuc), Davi Nogueira e dos investigadores (Siagespoc), Cledison Gonçalves.

Fonte: AL MT
Comentários Facebook