Zeca Viana e deputados cobram independência do Poder Legislativo

Eleição da Mesa Diretora (Foto: Maurício Barbant/ALMT)

A independência da Assembleia Legislativa perante o governador Pedro Taques (PSDB), bandeira defendida pelo deputado estadual Zeca Viana (PDT-MT), foi o tema central dos discursos de vários parlamentares na manhã desta quinta-feira (01.09), durante a sessão que elegeu o deputado Eduardo Botelho (PSB) para presidir a Casa de Leis no próximo biênio (2017-2018).

Zeca Viana foi o primeiro a discursar, defendendo a necessidade de haver mais independência do Poder Legislativo em relação ao Poder Executivo, reivindicação frequente do deputado. “Quero agradecer aos seis bravos companheiros que me acompanharam e me incumbiram de ser o líder dos independentes, e de tentar construir uma chapa, mas infelizmente não conseguimos pela falta de trazermos outros deputados da base do governo”, disse Zeca, liberando cada um dos parlamentares do bloco independente para votarem como desejassem.

O discurso cobrando independência do Poder Legislativo foi repetido pelos deputados Emanuel Pinheiro e Janaína Riva, ambos do PMDB, Zé Carlos do Pátio (SD) e Pery Taborelli (PSC), membros do bloco independente.

“Fica aqui o registro da necessária alternância do poder, e também a necessária independência perante o Poder Executivo. Não porque é Pedro [Taques] ou Guilherme [Maluf], mas porque é Executivo e Legislativo”, afirmou Emanuel Pinheiro.

“Você teria meu voto se não fosse candidato do Governo”, disse Janaína Riva a Eduardo Botelho. “Sempre vou lutar por uma Assembleia mais independente”.

Zé do Pátio enalteceu “a postura de estadista” do deputado Zeca Viana pela decisão de liberar os membros da bancada independente para votar conforme desejassem, mesmo que as propostas fossem divergentes. Destacou o compromisso de Viana em garantir a governabilidade do Estado. “O senhor sempre agiu com muita ética. Tem a postura de um verdadeiro estadista”.

Os deputados Wagner Ramos (PSD), José Domingos Fraga (PSD) e Mauro Savi (PSD) fizeram discursos cobrando alternância de poder. José Domingos chegou a apresentar uma Proposta de Emenda à Constituição Estadual para proibir a reeleição dos cargos e a alternância entre presidente e primeiro-secretário. A proposta também prevê a mudança da data da eleição para dezembro, evitando assim a coexistência de dois presidentes na Assembleia.

“O José Domingos está com uma proposta excelente, para que o presidente desta legislatura não possa ser presidente novamente, nem primeiro-secretário. Reeleição zero. Eu acho que é fantástica essa proposta, pois abre oportunidade para todos os deputados”, avaliou Zeca Viana.

Apesar de ter votado contra a chapa de Eduardo Botelho, o deputado Zeca Viana deixou claro que não tem problemas de relacionamento com o futuro presidente da Casa ou com qualquer outro deputado, destacando que seu voto foi coerente com suas ações, pois sempre defendeu a independência da AL.

“Meu relacionamento com ele não tem problema nenhum. Eu não tenho problema com nenhum dos deputados. Meu questionamento é quando a desvincular o Poder Legislativo do Poder Executivo”, destacou Zeca Viana, desejando sucesso ao futuro presidente na condução da Casa de Leis, com o objetivo de defender sempre o interesse dos cidadãos mato-grossenses.

A chapa com Eduardo Botelho como presidente foi eleita com 21 fotos, contando com apoio de quatro deputados da bancada independente. O atual presidente, deputado Guilherme Maluf (PSDB), será primeiro-secretário, e Gilmar Fabris (PSD) o primeiro-vice-presidente. Completando a chapa, Ondanir Bortolini (PSD) ficará na Segunda-secretaria, Max Russi (PSB) na Segunda-vice-presidência, Baiano Filho (PSDB) na Terceira-secretaria e Silvano Amaral (PMDB) na Quarta-Secretaria.

Fonte: AL MT
Comentários Facebook