“Candidato que aceita pressão não deve ser bom”, ironiza Taques sobre renúncia de Willian Cardoso

Do Olhar Direto

O governador Pedro Taques (PSDB) negou ter agido para forçar Willian Cardoso (PSDB) a recuar da candidatura a prefeito de Várzea Grande. Em entrevista concedida na manhã desta quarta-feira (24) em Mimoso, Taques lembrou sua relação com a família Campos, que disputa o Executivo em Várzea Grande com Lucimar, mas afirmou que a desistência foi uma decisão pessoal de Cardoso.

Com a desistência de Cardoso, o empresário Alan da Top Gás (PV) acabou sendo o escolhido para substituir a cabeça da chapa. Em entrevista concedida no último sábado, o novo candidato afirmou que a pressão do governador foi decisiva na desistência do tucano várzea-grandese.

“Eu avalio [essa desistência] como responsabilidade dele, né? Candidato que aceita pressão de quem quer que seja não deve ser um bom candidato, né?”, ironizou o governador antes de garantir que não moveu um músculo para interferir no cenário eleitoral de VG.

“Eu nunca pressionei quem quer que seja, não é do meu feitio, não me cabe falar a respeito do que ele disse, todos sabem que eu tenho um compromisso com o Jaime Campos, com a prefeita Lucimar. Ele assim desistiu porque ele quis, eu conversei com ele uma única vez”, finalizou.

Willian Cardoso oficializou sua desistência na semana passada e o grupo político optou por substituí-lo por Alan da Top Gás na noite da última sexta-feira (19). Em entrevista, o empresário afirmou que apesar da desistência, Cardoso está engajado na campanha. Desde o momento em que se apresentou como candidato, Cardoso não contou com respaldo do partido.

Comentários Facebook